Este Espaço

Criei este espaço para dividir, meus momentos, meus sonh os, minhas fantasias e meus desejos com vocês. Venham me conhecer.
Parei de escrever um Blog que tinha, com um ex-companheiro,
(http://meninalevadamestreferreiro.blogspot.com.br) ,sobre nossas experiências e nossa vida sexual, vida no meio liberal e no meio BDSM, com o fim do relacionamento, abandonei definitivamente o BDSM, resolvi importar algumas coisas do antigo Blog pra explicar todo este meu processo de transformação. De deixar de ser uma mulher submissa, mas infeliz, e me tornar uma mulher livre, mas feliz. SIMPLES ASSM.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Traição: não deixe acontecer com você

Entenda por que muitos homens traem - e saiba como agir para que seu gato não faça isso com você


Por Paula Aftimus




Foto: Getty Images
LIVRE DE TRAIÇÕES


Se um homem trai, ele é cafajeste e a mulher, vítima. Certo? Errado! Pelo menos é o que diz Marcelo Vitorino, autor do blog Pergunte ao Urso (www.pergunteaourso.com.br), famoso site sobre relacionamentos. Ele até fez uma lista dos "Dez Mandamentos da Corna Moderna", sobre o que fazer para evitar chifres. Beber demais, ser pouco vaidosa e discutir por tudo são algumas das atitudes que toda mulher, segundo ele, deveria evitar.

O outro lado da moeda

Ex-casada, ex-traída e ex-garota de programa, Vanessa de Oliveira, autora de "Ele Te Traiu? Problema Dele!" (Ed. Matrix, R$ 23), já viveu os dois lados da traição e discorda totalmente de Marcelo: "Não ser traída independe da gente. Receber de alguém fidelidade também não tem nada a ver com o fato de ser linda, inteligente e adorável", garante a escritora.

Para a psicóloga Olga Inês Tessari, de São Paulo, na maioria dos casos, tanto o homem quanto a mulher são ao mesmo tempo vítimas e culpados. "Muitas vezes - não todas! - a mulher contribui, sim, para que o homem a traia. E deixar de reconhecer isso a impede de ser uma parceira mais presente nessa ou numa futura relação", diz. Isso, obviamente, não significa que não houve uma "quebra de contrato" por parte do homem.

Sexo: Ejaculação feminina


  
Mulher de Classe


A ejaculação feminina é caracterizada pela excreção de líquidos pela uretra durante o orgasmo. Esse líquido é claro, às vezes viscoso, ralo e geralmente inodoro, varia de 15 a 200 ml e é expelido em jatos. É produzido pelas glândulas parauretrais.
Nem todas as mulheres ejaculam e, mesmo as que o fazem, não ejaculam sempre, sendo que essa diferença se dá na intensidade da estimulação recebida e na quantidade de líquido produzidos pelas parauretrais, que não é o mesmo sempre.
Os cientistas afirmam que a ejaculação feminina está diretamente relacionada à estimulação do Ponto G e à estimulação ritmada do clitóris, havendo também relação com orgasmos múltiplos.
Pela análise química do líquido expelido, mostrou-se que este nada tinha a ver com a urina, e sim assemelhando-se ao líquido expelido pela próstata masculina.
Algumas mulheres de hoje ainda acham que urinam ao ejacular, já que a sensação que antecede a ejaculação é muito semelhante à vontade de urinar. Porém a anatomia também comprova que isso é impossível, uma vez que o músculo pubococcígeo, que se contrai na hora do orgasmo, também é responsável pela contenção urinária. Dessa forma, não há como haver orgasmo com urina.


Mulher de Classe

Sexo: estágios da excitação

      
Celso Fernandes - Mundo Mulher


Se o casal quiser amor por mais tempo, a melhor maneira é prolongar também o antes e o depois. Afinal de contas, tanto o homem quanto a mulher respondem de forma idêntica ao desejo sexual. O primeiro estágio é a excitação, que pode ser provocada por estímulos físicos ou emocionais - beijos e carícias.
Nessa fase, o órgão masculino e os mamilos do homem, e o clitóris, os grandes e pequenos lábios e os seios da mulher aumentam com maior fluxo sangüíneo. Já no segundo estágio, chamado platô, uma coloração rósea toma conta do corpo dos amantes, e as partes com maior concentração de fluxo sangüíneo ficam mais intumescidas e escuras. O platô é seguido pelo orgasmo e, logo após, o relaxamento, voltam à cor e tamanho normais.
O orgasmo é atingido dentro de meio a três minutos depois do platô. Nas mulheres, pode ser seguido de um retorno à fase de platô e de novos orgasmos. Nos homens, precisam de vinte minutos a trinta para se recuperar antes de tentarem uma nova relação sexual. A fase de excitação pode durar de três minutos a muitas horas.
Quanto a chamada ´´linguagem truncada no amor``, o que você diz ao seu parceiro é tão importante como o que suas mãos e seus olhos dizem. Você pode lhe dar prazer dizendo que o ama, que gosta do seu cheiro, que ele é ótimo de cama etc. Como também elogiar uma parte do corpo que você sabe que seu parceiro não considera atraente.


Celso Fernandes - Mundo Mulher

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Manual de instruções para um sexo rápido




Você gosta de desfrutar do prazer de saber que podem ser “surpreendidos” a qualquer instante? Para os adeptos da aventura sexual, abaixo um guia de instruções para que nada estrague esse momento:
Há casais que sentem prazer quando fazem sexo de forma inesperada e em situações em que sabem que, caso não forem rápidos, correm o risco de serem pegos em pleno ato. Ora, seja para os que já são adeptos, como para aquelas que gostam de experimentar, seguem algumas dicas úteis para tudo correr certo.
Facilita sempre muito mais as manobras se optar por uma saia ou um vestido, sendo que é indiferente se é curto ou comprido, desde que não seja muito justo ao corpo.
Convém que ande munida de uma escova na sua mala, para dar um jeito a eventuais conseqüências no seu cabelo, bem como maquiagem, que pode ser preciso retocar.
Os sons que emitem devem ser controlados, porque a piada da situação é poder ser apanhada gemendo, e não apenas apanhada em movimentos suspeitos.
Para disfarçar o delito, procure ser discreta, não abandonando os dois o local do crime em simultâneo, mas um de cada vez e com o ar mais normal do mundo.
O automóvel é um dos locais mais comuns para este tipo de sexo, sendo que facilita mais as “manobras” se forem para o banco de trás e você ficar por cima do seu companheiro.
Quando for fazer de pé, pode ser mais fácil se a penetração for feita por trás, caso não tenha como manter os pés apoiados.


      
Sim, sim! Você pensou no elevador de serviços ou no almoxarifado. Só não esqueça que no seu ambiente de trabalho, se você for flagrado (a) pelo seu chefe pode ser demitido (a) ou se um colega de trabalho surpreender o casal, todo o seu setor ficará sabendo. Não é uma fofoca maldosa, mas o ser humano adora contar algo inusitado.Uma boa dica para uma “rapidinha” é se o lugar que vocês estiverem seja um sobrado. Um vai primeiro ao banheiro e o outro disfarçadamente sobe sem ser percebido ou pode perguntar em voz alta “cadê o fulano?” com cara de que não o vê faz tempo e ir a procura.
E não esqueça também que uma “rapidinha” também precisa de camisinha. Se proteger é fundamental. O ato sexual pode ser em poucos minutos, o prazer um pouco mais, mas as conseqüências de um sexo sem proteção pode ser para a vida inteira.

Sexo no elevador e escada


Combinamos de nos encontrar num barzinho perto da casa dele, a noite estava ótima, muita bebida, boa música e um agradável papo! Até que ele já muito bêbado começou a me agarrar e suas mãos estavam incontroláveis, tive que reclamar algumas vezes, pois estava chamando atenção!



Já bem tarado ele chegou ao meu ouvido e disse: -Quero te comer agora e na minha casa. Quando entramos no elevador ele veio pra cima, com aquele beijo delicioso, roçando aquela barba ralinha no meu pescoço, me deixando louca... não tinha câmera, então aproveitamos, eu estava com um desejo selvagem de empurrá-lo contra a parede e subir nele, e foi isso que fiz, aproveitei! Levantei a perna, ele apertava minha bunda com aquelas mãos grandes e fortes! Virei de costas, seu cacete já estava duríssimo e comecei a esfregar minha bunda rebolando bem gostoso. Só que ele mora no 10º andar e rapidinho chegamos acabando com a primeira parte da festa.



Quando chegamos à porta ele pediu que eu esperasse, pois tinha que pegar a chave que dava acesso à cobertura.
Infelizmente não conseguimos abrir a porta, a chave estava emperrando... Então resolvemos fuder ali mesmo, na escada!
Estava de vestido, ele tirou com pressa, com a rapidez de quem não aguentava mais tanto tesão, minha calcinha era bem pequena, ele perguntou se era a minha favorita, disse que não e senti um puxão brusco e logo em seguida o ruído de algo se rasgando. Colocou uma de suas mãos em meus seios e senti a necessidade de sua língua nos biquinhos e a outra mão na minha buceta que já estava inchadinha e contraindo-se. Quando ele começou a chupar meus peitos senti minhas coxas ensopadas.
Então ele me empurrou na parede de costas e começou a me tocar de uma maneira que eu jamais havia sido tocada antes. Já experimentei bocas inteiramente gostosas no sexo oral, mas a masturbação quase sempre foi feita de uma forma um pouco mais bruta do que eu gosto. Ele, não! Calma e suavemente, ele foi descobrindo cada pedacinho. E eu me deixei levar por tudo aquilo, mas chegou uma hora em que eu queria ser penetrada. Pedi, implorei! Ele pediu que tivesse calma, então começou a passar sua língua quente na minha bucetinha, bem devagar... “como um gato lambendo um pires de creme”. Até que gozei bem gostoso em sua boca.



Então descemos para o patamar da escada e ele me apoiou na parede e me penetrou loucamente. Ora eu ficava apoiada na parede, ora nos degraus ficando de 4 com a bunda bem empinada o que proporcionava gostosas estocadas.



Depois virei-me e segurei seu pau, com as duas mãos estava quente, macio e as veias dilatadas, hummm! Comecei massageando a cabeça, então num movimento rápido, me abaixei e comecei a lamber ele todo, e fui enfiando na minha boca...ele começou a ter espasmos de prazer e tesão...Comecei a chupar com mais intensidade e volúpia...Até que ele encheu minha boquinha, com sua porra quente, espessa e volumosa...
Ficamos bem suados, e eu bem assanhada, me arrumei como pude e voltamos ao bar, agora sem calcinha, acho que os mais espertos perceberam que estávamos transando! (risos).
Variedade é Sinônimo de Sucesso! 
A experiência diz que, sem variedade numa relação a dois, é mais que meio caminho andado para uma rotura.
Deixe-se de preconceitos e utilize na sua relação amorosa, produtos e artigos que possam satisfazer tanto a si como ao seu parceiro(a)...

SUPER ESTRÉIA SEXTA MIX








CLUB MIX APRESENTA!!! SUPER ESTRÉIA SEXTA MIX


NO COMANDO DO KSAL KARIOKA ORIGINAL


COM A ''NOITE DA OSTENTAÇÃO'' *** DIA 08 DE NOVEMBRO ÁS 22HR***
*** CLUB MIX ***


>>> A MELHOR BALADA LIBERAL DO RJ>>>> Dj TOCANDO TODOS OS RITMOS


*Banda ao Vivo* Shows interativos! COM MULHERES INTERESSANTES FAZENDO:

GANG BANG STRIPER FEMININO E MASCULINO DIVERTINDO A MULHERADA...TEQUILERAS
COM NOME NA LISTA( se cadastrando no site)www.clubmixbar.com.br

Lista amiga:http://www.clubmixbar.com.br/clubmixbar/lista_mix/cadastro.php

SOLTEIROS:
22h as 23hs- 100,00 c/ 20,00 convertido em consumo de bar
23h ás 00hs-130,00 c/ 30,00 convertido em consumo de bar
00hs 170,00 c/ 50,00 convertido em consumo de barCASAIS:
22h ás 23hs - 50,00 convertido em consumo de bar
23hs ás 00hs- 50,00 c/ 25,00 convertido em consumo de bar
00hs - 50,00SOLTEIRAS:
Entrada Vip com nome na lista adquira sua pulseira para o Open Bar no horário das 21hs ás 22hs.
(Whiky,Vodka,Energético,Caipirinha,Caipivodka e Gummy)

Não estando em nenhuma das listas: Entrada de 25,00 sem direito a bebida liberada.

SEM NOME NA LISTA

SOLTEIROS:
22hs ás 23hs - 100,00
23hs 00hs -130,00
00hs 170,00

CASAIS:22h ás 23hs - 50,00
23hs ás 00hs- 60,00
00hs - 70,00


COUVERT ARTÍSTICO R$ 10,00 POR PESSOA ********** CLUB MIX **********

Endereço: Rua do Mercado 25 Praça XV Organização: KSAL KARIOKA ORIGINAL

Telefones para contato: (21) 7781-2238/ID: 116*112579 NEXTEL (21) 8449-7819(OI)

(21) 7714-3175/ID:682*15037 (NEXTEL)

www.clubmixbar.com.br (FAÇA PARTE DE LISTA AMIGA,SE CADASTRE NO SITE)

Apoio :CLUB MIX BAR


Poesia Anal

por Lena Lopez


De quatro eu me encontro
Prostrada a tua frente
Aguardando anciosa
Que no cu você entre

O cuzinho eu vou dar
Pela vez primeira
Tenho um pouco de medo
Mas sou safada arteira

A cabeça encostou
Senti o calor
A entrada forçando
Bateu um pavor

O pau foi entrando
Me deu um ardor
Maldita enterrada
Eu gritei de dor

A primeira vez
É como surra de relho
Para sentir prazer
Só mexendo no grelo

Depois fica gostoso
Fica mais moderado
O pau mexe fácil
Com o cu alargado

Entra e sai, vai e vem
É uma delícia
Dar a bunda com gosto
É a melhor das carícias

O pau saiu murcho
Eu senti o molhado
Escorrendo no rego
Ficou tudo melado

Minha vó já dizia
É com coragem e jeito
Que se dá o cuzinho
Com todo o respeito

----------------------------------------

© COPYRIGHT BY LENA LOPEZ
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved

Foi bom... Pra você?



por: Lena Lopez



Eu quero a tua boca na minha, a tua língua entrando profundo, cruzando, enroscando e enlaçando na minha, num verdadeiro duelo e misturas de salivas.
Segura os meus seios e aperta-os nas tuas mãos, bolina-me os mamilos e os deixa arrepiados e duros, crispados e crescidos, para que você prove o meu prazer entre os lábios.
Fala no meu ouvido algo bem safado, obsceno e depravado, que me faça excitar, me deixe molhada, imaginando o que você vai fazer para me levar à loucura.
Abre as minhas coxas e penetra em meu corpo, primeiro com tua boca e depois com teu sexo. Me chupa, me lambe, me bebe e me devora. Depois disso, me invade com o sexo bem duro. Mexe e remexe, entra e sai, faz teu vai-e-vem, dentro de mim.
Enquanto me fode, me beija com ardência. Morde a minha boca e meu pescoço. Lambe meus ouvidos e geme bem perto. arrepia. Molha meus seios com tua saliva, suga meus mamilos e me faz escorrer de tesão. Agarra a minha bunda, me puxa para perto, firma meu corpo e crava de vez a tua lança .
Vara o meu sexo com violência e te enterra em mim, Depois me vira de costa e mete atrás, sem pena e sem dó.
Não para, não cansa, te entrega pra mim, que eu me entrego inteira!
Depois vem, me deita na cama, abre as minhas pernas, deixa cair o teu peso sobre o meu corpo, me beija na boca e entra de novo. Eu te arranho as costas, grito bem alto, arranho tuas costas e te prendo com as pernas, te enlaçando a cintura. Ficamos por um tempo assim, tu entrando e saindo, eu mexendo e remexendo. 
Até eu me render, ficar abatida, suada e cansada, ficar sem sentidos e gozar como louca!
Então... Despeja a tua seiva e goza o meu gozo! Me suja, mela e lambuza!
Satisfeita, eu olho em teus olhos, foi bom, maravilhoso para mim e aí... 
Foi bom pra você?



© COPYRIGHT BY LENA LOPEZ
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved


terça-feira, 29 de outubro de 2013

SUPER ESTRÉIA SEXTA MIX






CLUB MIX APRESENTA!!! SUPER ESTRÉIA SEXTA MIX 


NO COMANDO DO KSAL KARIOKA ORIGINAL


COM A ''NOITE DA OSTENTAÇÃO'' *** DIA 08 DE NOVEMBRO ÁS 22HR***
*** CLUB MIX ***


>>> A MELHOR BALADA LIBERAL DO RJ>>>> Dj TOCANDO TODOS OS RITMOS


*Banda ao Vivo* Shows interativos! COM MULHERES INTERESSANTES FAZENDO:

GANG BANG   STRIPER FEMININO E MASCULINO DIVERTINDO A  MULHERADA...TEQUILERAS
COM NOME NA LISTA( se cadastrando no site)www.clubmixbar.com.br

Lista amiga:http://www.clubmixbar.com.br/clubmixbar/lista_mix/cadastro.php

SOLTEIROS:
22h as 23hs- 100,00 c/ 20,00 convertido em consumo de bar
23h ás 00hs-130,00 c/ 30,00 convertido em consumo de bar
00hs 170,00 c/ 50,00 convertido em consumo de bar
CASAIS:
22h ás 23hs - 50,00 convertido em consumo de bar
23hs ás 00hs- 50,00 c/ 25,00 convertido em consumo de bar
00hs - 50,00
SOLTEIRAS:
Entrada Vip com nome na lista adquira sua pulseira para o Open Bar no horário das 21hs ás 22hs.
(Whiky,Vodka,Energético,Caipirinha,Caipivodka e Gummy)

Não estando em nenhuma das listas: Entrada de 25,00 sem direito a bebida liberada.

SEM NOME NA LISTA

SOLTEIROS:
22hs ás 23hs - 100,00
23hs 00hs -130,00
00hs 170,00

CASAIS:
22h ás 23hs - 50,00
23hs ás 00hs- 60,00
00hs - 70,00


COUVERT ARTÍSTICO R$ 10,00 POR PESSOA ********** CLUB MIX **********

Endereço: Rua do Mercado 25 Praça XV Organização: KSAL KARIOKA ORIGINAL

Telefones para contato: (21) 7781-2238/ID: 116*112579 NEXTEL (21) 8449-7819(OI)

(21) 7714-3175/ID:682*15037 (NEXTEL)

www.clubmixbar.com.br (FAÇA PARTE DE LISTA AMIGA,SE CADASTRE NO SITE)

Apoio :CLUB MIX BAR

De quatro, no cio!




por: Lena Lopez


Pega-me com ímpeto e faça-me tua mulher. Adona-se de mim, disponha do meu corpo e torne-me tua fonte requintada de prazer. Beije-me com a tua boca sequiosa e molhe a minha pele com a tua saliva. Explora-me com tuas mãos maliciosas e desvende meus segredos com teus dedos safados. Morde as minhas carnes, sugue as minhas essências, chupe-me nos pontos mais sensíveis e lambe-me para saborear todos os meus sabores. Cubra-me com carícias e sevícias e não esqueça de uma só parte do meu corpo.
Depois...
Ponha-me de quatro, arrime a minha face à cama, prende-me as mãos e segure-me pelos cabelos, puxando-me para ti, imobilizando-me e não me dando chances para escapar à tua invasão.
Invade-me, penetre-me às entranhas e foda-me como um cão enfurecido.
Abuse do meu corpo, come-me com força, trespasse-me com fúria. Descubra no meu fundo, os prazeres que guardo para ti, em meio aos meus calores e a umidade do meu cio.
Delicie-se, inebrie-se com meu orgasmo, mas não atreva-te parar, até explodas de prazer, para que eu ouça teus urros de gozo e sinta escorrer de mim a tua seiva quente.


----------------------------------------

© COPYRIGHT BY LENA LOPEZ
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

Devaneios de um Grelo Revoltado


por Lena Lopez

Chega!
Cansei de viver escondido e apertado dentro da calcinha, sendo maltratado pelo fio-dental!
Afinal de contas, apesar de pequeno, sou muito solicitado! Sou, digamos, importantíssimo e as mulheres não viveriam tão bem, não fosse eu! Para falar a verdade, eu sou a causa e o efeito da gozada! Se o problema é orgasmo... É tudo comigo!
Tem gente por aí, querendo diminuir a minha importância e inventando moda. Querem desvirtuar e falam que existe os tais orgasmos vaginais e quem tem até orgasmo anal. Santa heresia! Pior mesmo, é querer diminuir a minha importância e tentar achar o tal ponto G, que cá entre nós, ninguém sabe se existe de fato ou onde é que ele fica realmente. Tudo abobrinha e teoria.




A verdade é que se faz sexo com a cabeça, claro! Com a minha cabeça, a cabeça do grelo! Isso mesmo, grelo! Ou por acaso alguém, naquela hora, fala com todas as letras: - Chupa meu clitóris!
Aliás, apelidos não me faltam, para uns sou o clitóris, para outros o clítoris, tem quem me chame de botão do prazer e o pior dos apelidos é "pinguelo", horrível! Gosto mesmo é ser chamado de Grelo, com "g" maiúsculo, senhor dos gozos assombrosos. 
Não é a toa que a grande maioria da mulheres chega ao orgasmos pela estimulação clitoriana, chique né? Clitoriana, até parece coisa do século XIX, tempos de reinado da Rainha Vitória! E por falar nela, não existe mulher que não se sinta vitoriosa, depois de um orgasmo monumental. E quem é o responsável? Quem, quem, quem? Euzinho, o tão afamado, querido e maltratado, Grelinho de estimação, mestre das gozadas diabólicas! Se bem que, existe os grelões, mas isso é uma outra história, o que eu posso fazer se eles gostam de aparecer? Exibidos!
AH sei! Irão me perguntar: - Por que maltratado?
Vocês não sabem, como é difícil a vida de um grelo! Tem gente que não tem noção e me lambe com a língua dura, isso para mim é puro sofrimento, coisa para sádicos e masoquista, claro alguns o são e adoram ser torturados, fazer o que, cada um na sua. Fosse somente isso, mas não para por aí, e quando cravam os dentes? Fico tal e qual uma tampa de caneta Bic. Não, não, azul não! Mordido mesmo!
Sou o grelo, o parque de diversão, desde cedo, logo que aparece os primeiros sinais de feminilidade, quando os hormônios afloram e os dedinhos descobrem as suas utilidades.
Vocês sabiam que eu tenho o mesmo tecido erétil do pênis, que fico irrigado de sangue, aumento de tamanho e fico durinho? Não sabe? Ora, usa o dedinho e experimenta! Você vai ver, sou capaz de fazê-la subir pelas paredes! Ou então, pede para alguém me chupar e veja o que acontece!
Ser grelo tem lá suas vantagens, por exemplo, quando aquele órgão dantesco, chamado caralho falha, uma linguinha experiente e uma chupada bem dada , resolve o problema!
Lembrei dele! Se existe um sujeito mal-educado, é esse tal de caralho. Vem para a festa na casa dos outros, lindo, rijo, ostentando potência e vai embora de cabeça baixa, murcho e cansado, ainda por cima deixa tudo cuspido. Já cansei de ficar todo lambuzado com a má-educação dele!
Então, diante de tudo isso, eu mereço ficar em um lugar tão escondido, úmido e escuro?
Claro que não, está na hora de exigir meus direitos, um pouco de ostentação, não faz mal à ninguém. Eu poderia ficar na testa, na ponta do nariz, no queixo. Sim, por que não seria necessário, esperar para usar e abusar de mim. Tudo às claras! Uma coçadinha na testa! Uma esfregadinha no nariz! Uma roçada no queixo! Ficaria facílimo! As mulheres não precisariam das horas propícias para uma boa siririca! Seriam vários orgasmos por dia! Algo corriqueiro, coisa normal do dia-a-dia feminino. Tão natural, como coçar a cabeça, limpar o "salão", coçar o ouvido, opa! Na orelha é um belo lugar, totalmente estratégico. Imagine-me na sua orelha, no lugar do lóbulo e, seu namorado chupando a sua orelha e você gozando desesperadamente!
Não, não não! Não aceito de maneira nenhuma que diminuam a minha importância ou, que tentem competir comigo, gozo vaginal, gozo anal, etc e tal, é coisa de cientista, lorota de pesquisador.
Porque eu sou o pontinho mais tesudo do corpo de uma mulher e, gozo gostoso... somente eu para dar, com pau ou sem pau!

Tenho dito!

domingo, 27 de outubro de 2013

A melhor idade


Que coisa boa é curtir bate papo agradável com amigos e sair à noite. Por que não? Agitação e alegria fazem bem para alma… e dependendo da situação, para os olhos também! Muita gente diria que Helena deveria ficar em casa fazendo tricô e assistindo televisão, afinal já passou da casa dos cinquenta…Estava na tal melhor idade. Mas seu espírito é jovem demais para ficar mofando em casa. Mulher bem resolvida, procurou não deixar abater-se pelas tristezas da meia idade. Uma noite em especial, foi com uma amiga a um bar muito popular de sua cidade. Jogaram conversa fora, observaram muitos jovens no seu “habitat natural”, seus comportamentos, suas roupas, suas músicas… Uma maneira de ficar a par das coisas. Sem maiores preocupações, as duas aproveitavam a noite de maneira tranquila.

De repente, um deles chamou atenção de Helena porque não parava de encará-la. Parece que já tinha visto aquele rapaz em algum lugar. Não pode deixar de notar aquele corpo forte, alto, pele morena e com cabelos displicentes na testa. Um charme! Estava bebendo com amigos. De vez em quando, era surpreendida com seus olhares nem um pouco discretos. Pouco tempo depois, foi à mesa onde estavam as duas. Helena não esperava por isso. Com aquela velha conversa “já nos conhecemos?” e sorrisos por todos os lados, começou um gostoso flerte entre os dois. Ela até tentou desencorajá-lo, mas a sua persistência era agradavelmente gostosa. Ressuscitou até o seu velho argumento “sou avó!” e nem isso adiantou. Acho que isso o excitou mais ainda. Logo em seguida, a amiga foi embora e ficaram apenas os dois. Até os amigos dele foram abandonados, todos com aquela cara de interrogação.

Tomaram alguns drinques, conversaram por umas três horas mais ou menos. Ficaram sabendo que moravam próximos e tínhamos amigos em comum, por isso aquela impressão de “déjà vu”. Aos poucos, este encanto rude do rapaz acabou por tocar seu ego. Ele disse que adorava mulheres mais velhas e que já a observava há tempos, mas Helena nunca havia notado sua presença. Realmente ela nunca olhou para um jovem com estes tipos de pensamentos que estava tendo agora… A conversa passou de casual para sensual em pouco tempo. Ele sabia jogar com as palavras e sua aparente inexperiência a deixou curiosa. Foram dar uma volta… Trocaram alguns beijos pra lá de quentes no carro! Era um beijo urgente, meio nervoso. Imediatamente o beijo tomou outros rumos. Suas mãos fortes desceram pelas suas coxas e foi em busca de seu lugar mais quente… Que a esta altura estava pedindo para ser saciada o quanto antes. Seu lado fêmea aflorou com tal força que Helena se surpreendeu consigo mesma ao retribuir suas carícias. Aquele menino mexeu com suas estruturas!

Mesmo sabendo de algumas consequências, resolveu sair com este garoto para um dos raros casos de uma única noite na sua vida. Não tinha ideia do que ia acontecer, mas estava disposta a descobrir. Foram para aquele local onde todos os pecados são cometidos sem o menor sentimento de culpa. Ele ficou admirado com ela; talvez estivesse diante de sua primeira mulher mais velha. Estava extremamente excitado, não tirava os olhos dela. Isso fez Helena sentir-se má! Sem essa de que estava com vergonha do corpo, com receio da sua idade e todas essas outras inseguranças bobas. Tinha um corpo bem cuidado, seios fartos e firmes, seu maior trunfo físico. Estava na hora de tirar partido disso!

Ele ficou nu diante dela. Corpo esbelto, cheirando frescor da juventude e aquele membro tamanho família! Ela não esperava ver isso neste garoto! Uma deliciosa surpresa… Acomodou seu sexo em seus seios, fazendo insinuantes movimentos de vai-e-vem. Se antigamente era reprimida por este tipo de atitude, agora sentia-se a vontade em fazer isso com ele. Provou do seu gosto deliciando-se naquelas linhas retas e eretas e ele entrando em êxtase. Cada pedacinho daquele corpo musculoso conheceu sua língua. Ele, por sua vez, começou a explorá-la como nenhum outro! Sentia aqueles dedos brincando dentro dela. Disse que se sentia descobrindo “novas terras”… e realmente foi uma delícia ficar deitada, deixando que ele fizesse tudo. Procuraram camisinha pelo quarto, muita excitação na hora de colocar… Quando ele finalmente a penetrou, sentiu ondas de prazer invadindo seu corpo. Era estranho e ao mesmo tempo muito bom ter alguém tão jovem. Parecia que ele não conhecia cansaço! Quanta disposição! Talvez essa seja a melhor idade dele… O garoto era um amante nato! Fez amor de um jeito que Helena sempre sonhou.

Antes que ele soubesse o que estava acontecendo, ela ficou tensa devido aquela imensa carga de tesão e se satisfez. Teve um orgasmo maravilhoso. As contrações foram violentas, fortes, gostosas. Ele quase nem acreditou quando aconteceu. Via-se satisfação em seu rosto. Ele demorou bem mais tempo para atingir o ápice… Foi muito além do que ela imaginava. Até o momento que explodiu num longo orgasmo… Sua ereção ainda pulsava dentro dela. Tinha um brilho diferente em seus olhos…

Ainda ficaram um bom tempo juntos abraçados. E repetiram a cena outras vezes durante a noite. Quando estavam saindo do motel, Helena foi surpreendida pelo seu pedido: “Vamos nos ver outra vez? Não podemos ficar apenas nesta noite.” E viu sinceridade em seu olhar!

Embora achando que tinha sido uma experiência deliciosa e nada mais, viu nele uma nova sensação de vida… De certa forma, rejuvenesceu com ele. Às vezes, é preciso se arriscar para gozar a vida, literalmente.

E ali começou aquela história…

Conto baseado na história de G.A.B. / Escrito por Andrezza Palacios

Unhas Vermelhas


Quando ela chegou as 07:45Hs, na empresa, a primeira coisa que fez quando sentou-se em sua sala foi ligar para mim. Queria saber se eu já havia chegado. Eu ainda estava no elevador. Fiquei até preocupado, o tom da voz dela não era bom, mas não deveria me intrometer nisso, só havia a conhecido apenas há 3 meses. Funcionária nova na empresa, certo que fizemos amizade bem rápido, mas nada que chegasse a ser tão intimo a ponto de ser seu confidente. No final da ligação ela me perguntou se eu poderia passar na sala dela antes de ir para a minha.

Pegue um café e fui direto a sua sala. Ela estava com um semblante tenso, parecia que não havia dormido na noite passada. Porém somente o rosto estava abatido, pois seu corpo escultural estava perfeito, vestido justo vermelho, sapatos de salto alto vermelhos, uma bolsa vermelha em cima da mesa e unhas lindas, também vermelhas. Não sei como, mas eu conseguia reparar esses detalhes, mesmo estando tenso pela situação e sem saber o que estava por vir.

Sentada em sua cadeira, pediu para que me aproximasse, deu-me um longo abraço, pude sentir seu corpo colado ao meu pela primeira vez. O cheiro de seus cabelos, seus braços longos e finos me envolvendo, o batimento do seu coração. Eu estava em transe, que só foi quebrado pelo soluço que veio do seu peito. Estava chorando, não tinha nem trinta segundos ali na sala e ela já chorava em meus braços. Não sabia bem como me encaixar nesta situação, a única certeza que tinha era que, eu já poderia me sentir com um certo grau de importância em sua vida.

Tentei acalma-la, na verdade queria saber o que estava acontecendo e para isso acontecer, primeiro, teria que fazê-la parar de chorar, depois, fazê-la falar. Aos poucos ela foi se acalmando, deixando de soluçar. Até as lágrimas deixaram de escorrer pelo seu rosto.

Sentamos para conversar. Então soube qual era o motivo de todo o choro. Um namorado que eu nem sabia da existência havia terminado por telefone com ela. Mesmo vendo seu sofrimento, não conseguia parar de pensar em obscenidades. Não pude deixar de notar que por baixo daquele lindo vestido ela estava sem soutien. O bico dos seios ouriçados denunciavam sua excitação. Acho que meus olhos também me denunciaram, pois ela de vez em quando tocava nos seios como se quisessem protege-los de mim.

Pensei que poderíamos transar ali mesmo, no chão de mármore, depois encima da mesa, no sofá do cantinho da sala. A porta já estava trancada, seria ótimo. Desde que ela entrou na empresa que a desejava. Não só pelo corpo, mas por como se veste, como anda, como toma café e deixa a marca de baton no copo descartável.

Por mais respeito que houvesse, não teria como não desejar essa mulher seria um pecado não pecar por ela.

Hoje em especial, ela estar muito mais atraente. Estar indefesa, choramingando. Tenho o maior tesão por mulher choramingando, pedindo colo. Com a boquinha vermelha, os olhos ainda com lágrimas. Uma presa indefesa. Mas não posso fazer nada. Ela estar se lamentando sobre o namorado, quer dizer, ex. Seria uma chance? Estaria eu perdendo uma oportunidade ímpar?

Depois de concordar com tudo que ela disse, mesmo não ouvindo a metade, segurei em sua mão. Tentei-lhe passar segurança, mostrar que eu estaria ali para qualquer situação. E que realmente ele não a merecia, pois além dela ser uma mulher espetacular em todos os sentidos, ele não era homem para romper com ela pessoalmente. E terminou fazendo um papel deste, terminando por telefone.

Depois do silêncio, até eu mesmo me surpreendi com minha audácia. Ela me fitou nos olhos. Já não havia lágrimas, existia sim um olhar de admiração, de surpresa e talvez até desejo.

Não havia mais o que dizer. E não dissemos, o que houve a partir daí foi uma mistura de fogo, gelo, ansiedade, temor em sermos descobertos, tesão, suspiros, sensações gostosas que invadiam nossos corpos.

Já passava das 8:00Hs, a empresa já estava a todo vapor, apenas eu e ela, dentro daquela sala, como se ali fosse nosso mundo. Estávamos em nosso domínio. Mesmo com o telefone a tocar sem parar, mesmo com vários e-mails chegando a todo tempo. Estávamos entregues um ao outro. Queríamos matar nossas sede, beber na fonte do desejo, entrelaçar nosso corpos sem pudor, sem limites.

Quando fui aos poucos baixando seu vestido, tive a sensação que estava entrando em uma espécie de câmara secreta que guardava um tesouro incalculável. Fui descobrindo bem devagarzinho aquelas terras tão preciosas para mim. Quando o vestido desceu até o tornozelo, pude ver o quanto era bela, o quanto era formidável, o quanto eu precisava estar nele, precisava me inebriar com teu cheiro, com teu sabor. Teus seios continuam rígidos, como estavam durante nossa conversa, só que agora estavam em minha boca, agora enquanto sugava-o, ouvia ao invés de choro, um gemido sufocado, suas unhas vermelhas assanharem meu cabelo, apertar minha nuca.

O mármore estava gelado, mas o calor dos nossos corpos era muito maior. Quando entrei em sua fenda, alcancei algo inexplicável. Com as calças até o joelho, entre passos que o tempo todo passavam pelo corredor, encontrei meu lugar dentro dela. Meus movimentos de vai e vem, transmitiam a ela minha força, meu querer. Com as pernas bem abertas e dobradas, ela me aceitava. Deixava com que eu a possuísse até o fim, suando, com a boca seca, respiração descompassada, com a ansiedade de cada vez mais.

Quando ela cravou suas unhas com uma força que pareceu querer me rasgar a carne, tive a certeza do seu gozo. Olhos serrados, travando as pernas, quase morrendo, pedindo para que gozasse junto com ela. Seu pedido foi uma ordem. Deixei tudo escorrer para dentro dela. Sentir como se minhas forças estivessem indo para suas entranhas. Apenas fechei os olhos e fui esvaindo-me para ela.

As 10:00hs voltamos a realidade. Tínhamos uma reunião bem ali, naquela sala, com toda a diretoria. Durante a reunião nossos olhares se cruzaram o tempo todo. O que mais era gostoso, era saber que naquele momento parte de mim estava nela e parte dela estava em mim.

Conto escrito/enviado por Luis Carlos Rosa

Amigo Novinho


Fui numa festa na casa de uma amiga. Uma festa bacana, legal, com muitos convidados e eu me divertindo à beça. Quando chegou na hora de cantar “Parabéns” logo avistei aquele moreno lindo conversando com um amigo. Era muito bonito, com cara de bravo. Notei que era bem novinho… Tinha no máximo uns 19 anos. Nesta época eu estava com quase trinta anos. Fiquei encantada com aquele olhar distante, mas logo em seguida tivemos um pequeno desentendimento por causa de um mal entendido.
Resolvemos logo em seguida e passamos o resto da madrugada conversando, mesmo com toda aquela hostilidade dele. Só não entendia como eu podia estar atraída por alguém como ele que, apesar de lindo, era pouco amistoso…
Quase amanhecendo, trocamos telefones antes de nos despedirmos. Não tinha nenhuma expectativa que ele fosse ligar, afinal não tinhamos iniciado uma amizade. Os dias passavam e eu não conseguia tirar aquele menino do meu pensamento. Sempre que podia, passava de carro em frente ao trabalho dele. Minhas amigas até falavam que eu estava ficando louca… Mas não me importava!
Até que um dia cheguei em casa e tinha um recado dele. Educadamente retornei a ligação e estranhei ele ser tão gentil. Não posso negar que me sentia totalmente atraída pela agressividade dele.
Aquele garoto emanava uma sensualidade quase explícita, me deixando louca de tesão! Conversamos por alguns momentos mas nada de concreto aconteceu. Passaram-se alguns dias e ele me liga para tomar café da manhã com ele em sua casa. Sua mãe viajou e seu irmão foi trabalhar.
No horário marcado, lá estava eu no portão da casa dele, acompanhada de minha imaginação maliciosa. O que será que aconteceria quando eu estivesse sozinha com ele? Tinha idade de menino mas jeito de homem, corpo de homem… Quando veio me atender, todo sorridente, logo senti um cheiro maravilhoso de perfume no ar.
Ele me abraçou e me beijo no rosto. Muito formal para meu gosto… mas não vou forçar nada. Se bem que a última coisa que eu queria era tomar café da manhã… Quando entrei tive uma surpresa! Uma mesa linda, toda arrumada e com flores! Achei tão lindo! Eu me virei para agradecer, só que ele estava tão perto que não resisti e o beijei. Um desejo louco tomou conta de nossos corpos.
Em questão de minutos sua mão passeava pelo meu corpo tirando toda minha roupa. Meu desejo estava à flor da pele… Comecei a tirar sua roupa também. Ao erguer a camisa, fiquei espantada! Que barriga era aquela… toda malhada e tatuada??
Passava meus dedos de leve nele e aos poucos via sua pele arrepiar ao meu toque. Fui me abaixando até tirar sua cueca por completo. Joguei longe! Vi ele preparado, lindo, gostoso… Experimentei todo ele na minha boca num vai-e-vem que fez ele tremer… Empurrava minha cabeça para que eu fosse mais fundo. Aquilo me enlouquecia demais!
De repente, me puxa para cima, me beija na boca e me leva para o quarto. Seu desejo era forte! Mordeu meus mamilos fazendo eu me contorcer embaixo dele. Descendo até meu sexo, começou a me lamber num frenesi tão louco que em poucos minutos gozei na boca dele. Pensei: “como pode um cara tão novinho ser tão experiente?”
Disse-me ao pé do ouvido que ainda não era a hora; que iria me deixar ainda mais excitada pois queria me ver gozar mais vezes… e assim fez! Começou a me chupar novamente e enfiar seus dedos num ritmo constante, me fazendo gritar de prazer e me desmanchando num novo orgasmo mais adiante.
Colocou a camisinha e ficou me olhando. Absolutamente tomada pela vontade de ter ele comigo, pedi para vir logo. Queria senti-lo dentro de mim!
Transamos loucamente a manhã inteira em todos os cômodos da casa. Até na mesa do café! Não lembro de quantas vezes gozei… Só sei que foi delicioso sentir o gozo dele espalhado pelo meu corpo. Ele me deixou exausta e feliz!
Depois disso, tomamos banho e um café. Fui embora pra casa plena e realizada… Aquele menino sabia fazer uma mulher feliz! Ainda tivemos muitos outros encontros quentes! Mas numa outra oportunidade eu conto para vocês…

Conto enviado por Malu

Taxista Sedutor



Dançar sempre me deixa excitada. Corpo suado em movimento me faz sentir sensual, gostosa, arrasando sempre! Estava na balada com minhas amigas e na hora de ir embora me dei conta que era a única que estava hospedada em outro Hotel, do outro lado da cidade.

Chegando ao Hotel das minhas amigas, pedi um taxi. Ele chegou mais rápido do que gostaria e ainda fiquei por alguns minutos conversando e rindo com as meninas. Enfim, abri a porta da frente para me desculpar pela demora e quando o vi o taxista…. Nossa! Fiquei sem ar! Lindo, agasalhado, com cara de sono, olhos castanho deliciosos… Desculpei-me e fui para o banco de trás.

Ele não falava nada, não olhava pelo retrovisor e aquele silêncio me enlouquecia. Só olhava para o seu pescoço e desejava beijá-lo, sentir o seu cheiro… Estava ficando enlouquecida pelo estranho homem que ignorava minha presença no banco de trás. Quebrei o silêncio, perguntei mesmo vendo no taxímetro o quanto daria a viagem.

Disse que tinha vindo da balada e estava com pouco dinheiro. Contei que estava na cidade a trabalho, que teria apenas 3 horas para dormir. Ele me disse que nesse caso era melhor nem dormir. Eu sei que ele falou sem segundas intenções, mas aquelas palavras fizeram um arrepio percorrer meu corpo inteiro. Já não me importava mais com segurança, postura, moral. Passei a desejar aquele homem.

Trocamos poucas palavras e ainda assim não conseguia esconder minha respiração ofegante de desejo. Chegando ao hotel, perguntei se ele não se importaria em aguardar um instante. Iria buscar o dinheiro no quarto. Ele virou-se para trás, me olhou nos olhos e disse:

- Como você é mulher, eu aguardo. Se fosse homem não aguardaria.

Estremeci outra vez e percebi pelos olhos dele que aquela era a hora e eu teria que tomar uma iniciativa. Olhei bem para ele e falei:

- Que bom que me aguardaria,caso contrário teria que pagar com outros serviços. – Esperei dentro do carro uma resposta e ela veio quando ele novamente me olhou bem nos olhos e disse que poderíamos negociar. De imediato respondi: “Então arranca o carro que será um prazer pagar minha dívida!”

Falei isso e agarrei seu pescoço enquanto ele dirigia. Desci a mão no seu peito, sobre a coxa, ele realmente era muito lindo! Uma delicia de taxista! Encostei meus dedos no seu volume que estava tão excitado que não pude deixar de gemer e dizer que daria para ele ali mesmo no carro, se não fosse tão perigoso.

Chegamos ao Motel. Ele puxou pelos meus cabelos e me disse que me faria lembrar dele cada vez que pegasse um taxi. Subiu minha saia e sentiu meu prazer escorrendo pelas minhas pernas. Fomos ao banheiro, ele me colocou na pia de frente ao espelho cheirou meus cabelos e usou maravilhosamente suas mãos grandes e fortes para me fazer gozar.

Com ele me olhando através do meu reflexo do espelho, gozei, gemi e gozei outra vez. Implorei para cheirá-lo, suga-lo… Queria retribuir o prazer para aquele homem com os olhos mais sedutores que já vi…

Falou que eu cheguei no momento certo naquele taxi. Que ele estava ali para o meu prazer e que meus beijos já retribuíram qualquer prazer que ele viria a me proporcionar. Me levou para a cama e eu, embriagada pelo prazer do seu toque, me entreguei por inteira. Momentos que jamais esquecerei… Ele beijou meu corpo com desejo!

Eu precisava senti-lo… Ajoelhei entre suas pernas e minha boca retribuiu com muita vontade tudo o que ele havia feito em mim. Tinha um gosto bom, tinha cheiro de homem com muita pegada, uma cara de sem vergonha… Até que ele pegou pelos meus ombros, me levantou e me colocou de quatro na cama. Senti todo aquele mastro gostoso praticamente fazendo parte de mim, de tão gostoso que estava aquele momento. Gozei pela terceira vez, dessa vez junto com ele. Simplesmente inesquecível! Totalmente inusitado!

De volta ao Hotel, fiz questão de pagar a corrida. Ele me disse seu nome: Filipe.

Ah, meu taxista sedutor, nem precisava saber seu nome porque nunca mais vou te esquecer…

Conto Erótico enviado/escrito por Miriam

Gordinha Linda



Este é meu doce segredo..

Tudo começou quando em um sábado, entediada sem ter oque fazer, resolvi entrar em uma sala de bate papo. Já estava acostumada a frequentar esse tipo de espaço, pois é um espaço livre aonde você pode ser o que quiser, conversar abertamente sobre assuntos que aparentemente são tabus aos olhos da sociedade.

Neste sábado estava no chat quando comecei a teclar com um homem muito simpático. Descobrimos que morávamos bem próximos. A conversa fluiu tao bem que fomos para o msn. Lá ele me mostrou fotos de viagens onde deu para perceber seu excelente porte físico, um homem bem atlético.

Quando foi minha vez, ele me pediu para mostrar fotos minhas. Fiquei sem graça, pois sou gordinha. Disse isso a ele, mas ele rebateu dizendo que adorava gordinhas! Alias, foi isso que chamou a atenção dele no chat: meu nick “Gordinha Linda”. Começou um bate papo gostoso; disse que era casada e ele tinha namorada.

Como descobrimos que trabalhávamos perto um do outro, no centro do Rio, ele me ofereceu uma carona na segunda. Mesmo relutante eu aceitei. Com o fim de semana todo pela frente, pensei ate que ele iria esquecer, mas pra minha surpresa logo na segunda recebi uma mensagem dele confirmando o encontro.

Aceitei, não queria perder esta oportunidade, afinal na minha cabeça não tinha nada a perder. Confesso que fiquei muito nervosa pensando nessa loucura. Na hora que sai do trabalho fui para o ponto de ônibus esperar ele vir me pegar. A sensação era um misto de medo, ansiedade e até um certo tesão. Quando aquele carro parou em minha frente piscando os faróis, não acreditei! Era um carro importado que, já de cara me intimidou. Quando vi o motorista então… Nossa!! Pensei: “isso não é para mim”! Um homem alto, com um corpo perfeito, pernas maravilhosas (ele estava de short vindo da academia),cabelos meios grisalhos cortado estilo militar.. Que homem era aquele??

Entrei no carro e fiquei muda sem ter o que falar. Nosso trajeto era um pouco longo. O tempo todo ele puxava assunto e eu completamente calada e tímida, mas muito encantada. Quando nossa breve viagem teve fim, sai do carro e fiquei me achando uma burra de não ter aproveitado aquela oportunidade. De repente recebi uma mensagem dele pedindo desculpas por ter forçado nosso encontro e que tinha entendido que a diferença de idade era muito grande (10 anos).

Tomei coragem e respondi a mensagem falando que tinha achado ele um gato, que estava envergonhada e gostaria de uma nova chance. Marcamos um novo encontro para quarta feira e a excitação aumentou! Esse gostinho de perigo era muito bom! Trocamos varias mensagem quentíssimas…

Da próxima vez, quando entrei no carro já fomos logo nos beijando. Ele abriu sua camisa e eu não aquentei quando vi aquele abdômen todo definido. Comecei a beijar e lamber aquela barriga até embaixo. Como ele estava dirigindo, mesmo assim com uma mão só ele agarrou meu seio e ficou apertando. Quando parávamos no sinal, ele chupava meu seios e enfiava a mão por baixo do meu vestido.

Ainda no carro, delicadamente tirei minha calcinha. Imediatamente ele meteu a mão em mim e sentiu como eu estava molhada. Enlouqueceu de tesão!! O que tornava o momento mais gostoso ainda é que ele estava dirigindo… E quando subimos a ponte Rio-Niterói, abri a calça dele e agarrei seu sexo, deliciosamente rijo! Comecei a chupá-lo ali mesmo e cada vez que sentia aquele gosto ,queria muito mais… O trânsito estava péssimo naquele dia. Ele não aguentou e gozou na minha boca. Foi uma delicia que nos deixou com muito mais vontade.

Quando chegamos ao motel, descendo do carro ele foi logo me agarrando. Ainda nas escadas, ele me beijava de um jeito selvagem, parecia que iríamos transar ali mesmo… Foi a transa mais quente que já tive pois foi neste dia que ele me iniciou no anal. Um tipo de sexo que eu não gostava, mas passei a adorar! Foi delirante…

Depois dessa primeira vez, toda semana saímos pelo menos um dia. Era tudo que queríamos: sexo gostoso sem compromisso. Uma realidade paralela, onde são realizadas nossas fantasias. Realmente aquele homem maduro marcou minha vida e valeu cada minuto tê-lo conhecido.

Hoje sou uma nova mulher, realizada sexualmente e em paz com meu corpo.

Conto escrito/enviado por El.

No Banheiro …



Estávamos cansados, uma boa apresentação no Seminário, coincidentemente estávamos na mesma pousada, e como morávamos em cidades distantes, resolvemos comemorar o sucesso da apresentação. Cada um foi para seu quarto, mas não demorei muito no meu, fui tomar banho e percebi que a água não estava quente em meu chuveiro, resolvi pedir socorro a Mila, bati em sua porta e logo ela veio me atender, abriu a porta, cabelos molhados, toalha creme, as gotas de água corriam em sua pele. Visão do paraíso? Não, mais que isso! Fiquei olhando para ela, admito que o desejo foi imediato, mas me contive, afinal, éramos amigos apenas. Ela me convidou para entrar com um belo sorriso. Entrei e fui logo explicando minha presença ali, ela me deu um tapa e disse:
- Que nada seu pervertido, veio aqui me espionar tomando banho – sorriu graciosamente
De certa forma, fazia sentido. Me deixou ir ao banho e disse q iria se vestir, depois sairíamos para comemorar. Cabe fazer um observação aqui, bem que os quartos de pousada poderiam ter algo mais que cama, escrivaninha e roupeiro não é? Deixei minha roupa sobre a cama num gesto instintivo. Tomei meu banho, com a imagem daquele corpo em minha mente. Coloquei a toalha, abri a porta do banheiro e pedi que ela trouxesse para mim as roupas, percebi que ela também me devorou com os olhos. Trouxe a minha roupa com um molejo divino. Ela vestia um short rosa, camiseta, sem sutiã. Quando ela se aproximou com as mãos estendidas segurando minhas roupas, a arrastei pelos braços e pedi desculpas,
- Pelo quê? – Ela perguntou.
- Por isso . – Beijei seus lábios com voracidade. A encostei no azulejo branco do banheiro e me deliciei em seus lábios. Provei da pele, beijando o pescoço, ela tirou minha toalha. Caiu ao chão. Tirei sua blusa e logo tratei de beijar seus seios. Mentira, não os beijei, admito, devorei cada um com uma fome sem igual. Lindos, de pele clara, dois pêssegos saborosos. Ela me mostrou o que queria quando empurrou levemente minha cabeça para baixo, fui descendo, com as mãos tirei seu short, estava sem calcinha. Sim, minha amiga já esperava o mesmo que eu. Uma leve penugem dava um tom especial àquela imagem deliciosa. Minha boca sem paciência tratou de explorar aquele espaço. Uma de suas pernas teve meu ombro como apoio, e minha língua corria os lábios vaginais com maestria. Ora a língua, ora meus dedos, molhada estava, saborosa ao extremo.
Eu já estava todo ereto. Levantei, a virei bruscamente e sem pedir licença comecei a penetrar, ouvi um Aii, gostoso e safado, bem baixinho. Ela se inclinou ali mesmo, se apoiando na pia que comumente se usa para escovar os dentes. Em um ritmo acelerado eu penetrava com força, ela começou a gritar mais.
- Isso…não para não….assim, aiii…mais – Obedecia às suas ordens sem pestanejar.
Tava muito gostoso tudo aquilo. De repente ela pediu em meios aos gemidos:
- Quero cavalgar…
sentamos ali mesmo, na cerâmica fria do banheiro sob o chuveiro, ela então sentou sobre meu p… subia com uma leveza incrível, descia…acelerou os movimentos…a mim restou segurar naqueles seios gostosos que balançavam em minha frente. Vontade de morder…me aproximei mais dela…mordi os seios por um momento…senti que ia gozar, ela percebeu isso em minha expressão de prazer, cavalgou com força…muita força…não deu tempo nem de pensar, quando gozei tudo dentro dela, um jato de prazer.
- Aiii….como ta bom isso aqui dentro… – Disse diminuindo o ritmo da cavalgada.
Eu estava esgotado, gozei muito, talvez porque eu a desejava há um tempo.
Ela se apoiou em meu pescoço, me beijou a boca com suavidade…levantou-se, ligou o chuveiro e tomamos um banho quente e comportado. Acredita? Comportado?
Claro que não. Travesso banho…

Conto enviado por Hopkins

Transando no escritório e almoxarifado de restaurante!

Era uma terça feira à noite, e há alguns dias não nos víamos... Eu já estava com saudades dele e do sexo maravilhoso que fazíamos... Decidi não esperar mais e ir vê-lo! Tomei um banho bem gostoso e me produzi a mais bela e cheirosa que consegui, meu desejo era q ele não resistisse a mim assim que nos víssemos. Peguei um taxi, e fui ao seu encontro sem avisar.
Quando cheguei ao restaurante ele me olhou da cabeça aos pés e fez aquela cara safada que só ele tem, me beijou calorosamente e enquanto nos beijávamos pude sentir o nosso cheiro de sexo exalando, então conclui que naquela noite teriamos o sexo mais gostoso de todos.
Quando nos afastamos já estava tão molhada e louca q não ia aguentar por muito mais tempo. Ele para me deixar mais louca inventou de pedir um prato na cozinha e jantarmos, enquanto conversávamos eu queria mesmo era conversar de outro jeito em cima dele, dando uma trepada bem gostosa!
Decidi que não ia esperar pedi que ele me mostrasse seu escritório e fui entrando, era na parte de trás do seu restaurante como se fosse um primeiro andar, onde também tinha o almoxarifado.
Não me importei muito em fechar a porta, quando entramos o agarrei e lhe beijei com uma necessidade louca de possui-lo, ele me agarrou e apertando minha bunda e meus peitos e sua mão deslizava por todo o meu corpo. Sem parar de me beijar foi tirando meu vestido pouco a pouco, e meus seios que ele adora beijar, apertar e morder ficaram expostos, enquanto ele mamava os meus peitos comecei a apertar aquele pau que já tava duro doido pra meter na minha buceta gostosa.



Rapidamente ele me apoiou na quina da mesa me apaioei em seus ombros e ele começou a esfregar seu pau em minhas coxas, dizendo o quanto queria se saciar com o meu corpo e que eu tinha sido feita para satisfazê-lo de todos os modos possíveis.
Não parava de falar e se esfregar, já sentia seus dedos dentro de mim, na bucetinha. Já estava descontrolada de tanto tesão, comecei arrancar a camisa dele e arranhar suas costas, implorava para ele socar aquele pau enorme e duro em minha buceta molhada, ele pegava em meus cabelos e dizia que iria me fuder de uma forma que nunca tinha sido antes.



Eu estava com uma calcinha vermelha de rendinha e transparente , que deixava ver os pelos da buceta. Quando viu ele enlouqueceu e começou a cheirar e passar a língua ainda por cima da calcinha.
Abriu um pouco mais minhas pernas e arrancou minha calcinha com uma enorme violência, colocou meus pés sobre a mesa e caiu de cara em minha buceta, quando percebeu que eu já ia gozar ele levantou, retirou aquele pau enorme e que pingava, pegou em meus cabelos, beijou minha boca e socou...
Que maravilha era aquilo, sentir aquele pau fudendo minha buceta, ele tapava minha boca para não gemer alto, falava baixinho em meu ouvido que eu era uma puta maravilhosa, que tinha uma buceta muito gostosa.
Ele me arrastou até o almoxarifado e continuamos. Apesar de estar adorando, pedi a ele que parasse, pois podia aparecer alguém, mas ele estava louco e nem deu bola para o que eu falei.



Começou a beijar minha nuca e eu tentando escapar. Tentou me acalmar dizendo que ninguém iria ver e que ele me faria à mulher mais feliz naquele momento.
Eu pedia para parar por achar que aquilo era loucura demais, mas ele continuou... Estava incontrolável, usamos como cama uns papelões e como travesseiro uns sacos de guardanapos, ele me empurrou ali, abriu minhas pernas e meteu sem dó. Começou a dar estocadas maravilhosas, não aguentei e comecei a gemer como uma cachorra e ele tapou minha boca para que ninguém escutasse. Não demorou muito e logo gozamos gostoso. Arrumei meu cabelo, vesti minha calcinha, fechei o vestido, passei um batom e sai, percebi que algumas pessoas e garçons estavam me olhando (acho q fomos visto por um dos seus garçons), devem ter percebido que o patrão estava comendo a namoradinha, mas não dei atenção...
Foi uma experiência maravilhosa, se ele quisesse daquele dia em diante só fazer daquele jeito eu ia amar... (risos)
Luluzinha Lia

Rapidíssima na universidade

Você nem bem se acendeu e ele já está fora do jogo? Situação mais corriqueira do que imaginamos...
Eu estava de folga, abri um vinho que tinha guardado e comecei a beber sozinha em casa. Lá pra tantas resolvi entrar no MSN.
Estava online o cara mais lindo que eu já vi, ele é loiro, alto e forte, tinha tudo para me tirar do chão e era isso que eu esperava. Achava difícil escolher o que eu preferia nele, se era a beleza ou a sensualidade que exalava em tudo o que ele falava e não era nada vulgar, era excitante. E muito!
Começamos a conversar, ao longo do papo comentei que estava de pileque e doidinha pra trelar, ele ficou todo animado e me chamou pra sair, mas eu não queria nada convencional, e comentei que adoro a idéia de correr riscos, isso torna a aventura mais excitante, desejava me arriscar.
Então marcamos de nos encontrar na Unp, entrei no carro e começamos a procurar um bom lugar para meter gostoso, eu queria descer do carro, mas ele não aceitou (estava muito nervoso).



Parou o carro e veio pra cima, a principio achei que estivesse mais selvagem do que esperava por conta de tudo o que falamos. Que ilusão a minha! O negócio dele era ser mais agressivo mesmo com muito puxão de cabelo, tapa na cara e na bunda.
Quer me xingar? Adoro. Um puxãozinho de cabelo, ok. Um tapinha também não dói. Mas qualquer coisa além disso me anula o tesão completamente (quer uma mulher ou um saco de pancadas?).



Deitou o banco da frente do carro, nem me beijou, foi logo metendo a mão na buceta e mandando eu me virar, mandando não, ele me pegou com força e colocou do jeito que ele queria, depois veio pra cima como um leão faminto atacando à presa.
Antes da penetração ele passou a língua da buceta até o cuzinho, com força e rapidez. Sinceramente não é assim que gosto, poucos homens sabem chupar de verdade! No final tem umas dicas de um sexo oral perfeito!
Ele já começou mal, além de não fazer sexo oral direito, já veio querendo meter e pasmem sem camisinha, na hora tomei um susto e me encolhi toda, disse que não ia rolar, quando percebeu que eu estava muito assustada, ele colocou e começou a meter, o pau dele é na medida certa, uma delicia, mas confesso que já estava sem clima.
E aí, sem mais nem menos, em umas 7 estocadas, ele gozou. Eu simplesmente não acreditei no que havia acontecido. Fiquei com uma cara de descrença. Não achei possível tudo aquilo. Mas vi, ele havia ejaculado, coloquei minha calcinha e na hora que estávamos nos arrumando, dois seguranças do campus se aproximaram, ai pensei: -ainda bem né! Senão seriamos presos e fiquei rindo, eles pediram documentação e saíram.
Antes que apareçam aqui comentários falando mal do rapaz, fica uma observação: problemas desse tipo (como ejaculação precoce ou justamente o contrário – a ejaculação que não acontece nunca) são mais comuns do que imaginamos. Pode ser algo circunstancial ou habitual. Sendo habitual, o jeito é procurar um médico. Às vezes esses problemas são causados por coisas fáceis de serem resolvidas.
Quanto a nós, não houve sintonia, não o julgo por isso, cada um com suas preferências sexuais, mas definitivamente essa foi a primeira e única vez que saímos.
Como prometi selecionei algumas dicas:



Preliminares são imprescindíveis. Explore as zonas erógenas, acaricie-lhe o pescoço, as orelhas, a parte interna das costas, a zona anterior dos joelhos, os peitos, os pés e finalmente toda a área circundante à bucetinha. Pode usar a sua língua, os lábios, mas guarde o clitóris para o final, coloque-a na expectativa. Faça a mulher esperar, até ela implorar, e só chegue ao clitóris quando ela menos esperar, a surpresa será fantástica.
A mulher não gosta de movimentos brutos e agressivos, qualquer toque mais bruto poderá causar dor em vez de prazer. Não morda essa zona, ou tente agarrá-la com alguma brutalidade. Quando usar a sucção seja gentil e suave. Imagine que esta a lamber uma flor. Adoramos ver que o homem está sentindo prazer quando nos faz sexo oral. Comece devagar, não faça depressa, pois indicará à mulher que está cumprindo uma obrigação. Use não só a sua língua, mas também os seus lábios, isto fará a maior diferença num bom sexo oral. Quando sentir que está na hora de passar ao clitóris da mulher, dirija a ponta da sua língua ao clitóris incidindo aí a força da sua língua até que ela atinja o verdadeiro orgasmo de prazer.
Quando sentir que ela ao orgasmo não aumente o ritmo, isto é um erro que muitos homens cometem. Mantenha sempre o mesmo ritmo, isto é imprescindível para levara mulher ao orgasmo.
Aproveitem essas dicas, são preciosas!

Referências utilizadas: No blog cromossomay no artigo "Como fazer sexo oral levando ao paraíso" http://cromossomay.com/artigos/como-fazer-sexo-oral-levando-paraiso.

Luluzinha Bia

Uma Vontade Louca Por Você

por: Lena Lopez

Eu sei que você me olha e me deseja, assim como eu te desejo.
Sei de todas as vezes que você me viu nua, me olhou furtivamente e não teve coragem para se revelar, mas eu sempre disfarcei e nunca deixei você notar que eu sabia dessa tua mania.

Foram momentos que me deixaram cheia de tesão.

     
Quantas vezes eu percebi teu olhar, por entre as cortinas da janela, ou o brilho dos teus olhos na fechadura da porta.
Na penumbra do quarto, eu era apenas uma menina, cheia de tesão, com vontade de me entregar e me descobrir como mulher. Foram momentos que me fizeram sonhar e cada vez que eu notava a tua curiosidade, eu fantasiava nos dois juntos nos meus pensamentos.
Desejava naquela hora, que você entrasse e na penumbra do quarto, me tomasse nos teus braços.
Eu sonhava, jogar os meus cabelos para o lado e te oferecer o meu pescoço para que o beijasse. Eu queria a tua boca sobre a minha e a tua língua acariciando os meus lábios. Desejei sentir a tua saliva descendo pelos meus ombros e as as tuas mãos passeando pelo meu corpo, enquanto nós dois, encostados e apertados um ao outro, trocávamos nossos calores.
Eu queria o teu toque nos meus seios, os deixando duros e pontudos, a tua língua lambendo os meus mamilos e teus lábios apertando-os, enquanto você os sugava. Desejei muito, gemer de tesão com você, sentir as tuas mãos apertando as minhas nádegas, entrando por entre as minhas pernas e desvendando todos os segredos que eu tenho para oferecer. Sonhei com você sobre o meu corpo, me possuindo e me levando ao delírio. Sonhei com todo este tesão, sem nenhum pudor, apenas paixão e sexo.
Naquelas horas, quando você me espiava na minha intimidade, eu desejei gozar muito e te dar um gozo indescritível! Entretanto, preferi o amor solitário e amar-me intimamente e cada um dos meus toques no meu corpo, me faziam delirar, pois sabia que, de alguma forma furtivamente, você me observava. Foram muitas vezes e em cada uma delas, você sabe, tão bem quanto eu, que gozei alucinadamente. Mas, faltou-me a coragem para te chamar para junto de mim e ainda hoje quando eu lembro, sinto uma vontade louca, um tesão enorme por você!
----------------------------------------

© COPYRIGHT BY LENA LOPEZ
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

sábado, 26 de outubro de 2013

Acordando com sexo


   
Celso Fernandes - Mundo Mulher


O sexo ao acordar pode ser uma forma maravilhosa de fazer amor! Algumas mulheres adoram se deixar levar naquele momento mágico entre o sono e o despertar. Muitos homens têm ereções ao acordar, sentindo-se dispostos a uma diversão erótica. Mas há quem prefira guardar o sexo matinal para os fins de semana e feriados, quando estiverem livres da pressão de horários marcados. Se o casal tem filhos, o sexo matinal torna-se quase impossível, pois eles acordam cedo, precisam ser trocados e alimentados, gerando uma ansiedade prejudicial ao bom desempenho.
O chuveiro ou a banheira são lugares convidativos. Com os dois nus, pe sempre um bom começo. Tudo fica mais simples e agradável: ensaboar o corpo um do outro pode ser uma situação muito excitante. Mas cuidado, pois o sabonete pode irritar a uretra. O sexo na piscina também traz gostosas possibilidades por causa da diminuição no peso do corpo. Assim, posições aparentemente impossíveis, inspiradas nos hindus, tornam-se perfeitamente realizáveis dado à leveza dos corpos. À noite, o mar traz sensações deliciosas: o sal auxilia na flutuação e não há o irritante cloro. Já o sexo à beira mar tem uma desvantagem: o contato com a areia pode arranhar a pele.
Tudo fica mais simples e agradável: ensaboar o corpo um do outro pode ser uma situação muito excitante. Mas cuidado, pois o sabonete pode irritar a uretra. O sexo na piscina também traz gostosas possibilidades por causa da diminuição no peso do corpo. Assim, posições aparentemente impossíveis, inspiradas nos hindus, tornam-se perfeitamente realizáveis dado à leveza dos corpos. À noite, o mar traz sensações deliciosas: o sal auxilia na flutuação e não há o iritante cloro. Já o sexo à beira mar tem uma desvantagem: o contato com a areia pode arranhar a pele.


Celso Fernandes - Mundo Mulher

Ser solteira pode não ser mais visto como desilusão


  
Terra Chile

Chegamos e deixamos sozinhos este mundo. Ainda assim, acreditamos que a vida deve ser aproveitada em parceria. Já na infância surge o interesse pelo sexo oposto. Na adolescência, esse sentimento aumenta e lutamos para ter alguém especial do nosso lado, dividindo carinhos, atenção e boas experiências.
Com o passar dos anos, nos envolvemos em relações platônicas, breves, fulminantes. Seguimos nesse caminho até encontrarmos o que chamam de "verdadeiro amor". No meio do percurso, é normal sofrermos desilusões e, mesmo que momentaneamente, perdermos o interesse de nos envolver com outra pessoa. Para alguns, esse "tempo" pode significar o resto da vida, pois eles decidiram desistir da "busca" para ficarem sozinhos.
A solidão, portanto, pode ser entendida como uma opção, porque não há o interesse de encontrar um parceiro estável, e essas pessoas preferem privilegiar outros aspectos da vida. Outros solitários, por sua vez, pensam que o amor não lhes serve e daí aplica-se o ditado "antes só que mal acompanhado".

Solteirões estão em moda


A psicóloga Thamar Álvarez Vega ressalta que todas as opções que levam a felicidade são válidas e que viver sem uma companhia é aceitável sempre e quando for feito uma análise das vantagens e desvantagens da solteirice.
"Antes, o matrimônio era quase que uma obrigação. Por isso, aqueles que não se casavam eram perseguidos. Isso implicava em uma classificação de que tal pessoa tinha má sorte na vida. Hoje em dia, essa visão mudou radicalmente e se considera simplesmente como uma pessoa que quer permanecer solteira", explica Thamar.
Em geral, alguns solteiros têm ciúme de sua privacidade. "A solteirice é uma boa opção para quem é ativo, independente, gosta de viajar, enfim, que atua com completa liberdade de ação. Ou ainda para quem se considera infiel e prefere ser solteiro para ter múltiplos parceiros sexuais", opina a psicóloga.
Desilusões do amorA psicóloga Thamar Álvarez convida a todos que acreditam ter má sorte para que se auto-examinem. "A aproximação deve ser sempre uma ação motivada por uma atração real, pela compatibilidade de interesses e não apenas pela busca de uma companhia por medo da solidão", explica.
A especialista acrescenta que é preciso ter paciência, não se desesperar e continuar exigente. "Encontrar a pessoa ideal não é fácil e, quando isso ocorre, é preciso ter em mente que esse ser não é perfeito, é de carne e osso e possui virtudes e defeitos". O amor pode lhe surpreende e fazer com que todas suas crenças sejam esquecidas.


Fonte: mulher.terra.com.br

Sexo: O tamanho influencia na hora H?


   

Karina Conde - Vila Dois


A pergunta que não quer calar: O tamanho do pênis interfere no prazer feminino? A resposta, “na lata”, é da urologista e terapeuta sexual Sylvia Faria Marzano:

“O que o homem tem que saber é que a mulher tem prazer no clitóris e no primeiro terço da entrada da vagina.

Por isso, o tamanho do pênis não tem influência. Todos os homens devem saber também que a mulher tem dois pontos “G”: nos dois ouvidos (ela adora ouvir palavras lindas e declarações de amor que fazem com que se sinta mais excitada)”.

Karina Conde - Vila Dois

Meu Chefe


Minha primeira experiência com outro homem. Meu nome é Márcia, tenho 34 anos, sou morena, 1,76 de altura, 65 kg, muito bonita e gostosa. Sou casada e amo muito meu marido, nunca imaginava que um dia poderia acontecer o que aconteceu comigo. Foi somente uma vez, quando fui trabalhar em uma loja no Braz em SP.
Quem fez a entrevista foi o dono da loja, Roberto, um moreno alto, olhos pretos e físico perfeito. Tinha um papo muito gostoso e muito galanteador, disse que eu aprenderia tudo com ele. Quando fui apresentada para mais duas meninas que trabalhavam lá, uma delas brincou e disse: “Carne nova pro patrão” e deu risada. Fingi que não entendi.

Aos poucos fui me acostumando na loja e aprendendo tudo: estoque, atendimento e ficava às vezes até tarde arrumando a loja junto com o Sr. Roberto (que me dava muita atenção, por sinal). Certo dia quando eu estava nas prateleiras colocando umas cortinas, ele veio por traz de mim encostando seu corpo e disse: “Deixa eu te ajudar a colocar isso”. Pude sentir que foi um pretexto para me encostar, pois senti seu membro duro. Isto me excitou muito, porém não tinha percebido que estava entrando neste jogo. Minha ideia e conceitos foram cedendo à medida que o tempo passava e se tornava cada vez mais natural as “encostadas” dele, pois a loja era apertada. Continuava fiel, mas eu já olhava o Roberto com outros olhos.

Surpreendi-me um dia olhando e pensando como seria transar com ele. Ele sempre me dizia que sorte meu marido tinha de ter eu em casa: uma pessoa linda e gostosa e que os homens olhavam para mim com vontade de comer ali mesmo. Respondia que somente do meu marido eu gostava.

Numa noite, Roberto pediu para eu ir com ele no almoxarifado conferir umas peças que acabaram de chegar. Já não tinha mais ninguém na loja, somente eu e ele. Confesso que meu sexo deu um choque! Acho que fiquei vermelha e não pude encarar o moço de frente. Acho que homem sabe quando uma fêmea quer, pois a primeira coisa que ele fez foi chegar perto de mim, como de costume, só que desta vez sem eu esperar me puxou rapidamente. Quando olhei pra ele, recebi seus lábios nos meus num beijo. Minha cabeça deu voltas, me assustei com sua reação. Tentei empurrá-lo, mas ele segurou forte e sua língua entrou na minha boca. Senti seu p… duro a roçar em mim, colocou a mão na minha bunda e apertou-me contra si, colando meu corpo no dele das coxas até a boca.

Minhas pernas amoleceram e ele teve de me amparar. Era o primeiro beijo que ganhava de outro homem, que não o meu marido, era a primeira p… de outro homem roçando em mim. Perdi a resistência e ele beijou o quanto quis. Quando senti sua mão entrando pela abertura do avental enfiando-se pelo elástico da calcinha, segurei seu braço com força. As pontas de seus dedos tocaram no inicio de meus pelos. Reuni toda força que tinha e pedi: “Não faz isto comigo, por favor. Eu sou casada, nunca traí meu marido, por favor, pare”. Ele ficou me acariciando, me arrepiava toda, fiquei chorosa. Queria mas não podia fazer isto. Era uma guerra na minha cabeça.

Ele dizia: “Deixa de ser bobinha, não to fazendo nada demais, te acalma, eu estou louco por ti, não consigo pensar noutra coisa. Não quero te prejudicar, mas foi mais forte do que eu… Deixe fazer um carinho NELA, só um carinho, deixa…” Eu fui soltando aos poucos seu braço e senti sua mão descendo lentamente em direção à minha intimidade. Colou seus lábios nos meus e nos beijamos apaixonadamente, quando senti seus dedos abrirem meus lábios vaginais. Em poucos movimentos circulares, levei choques no corpo inteiro, apertei as pernas com força e seus dedos penetraram fundo em mim. O gozo foi intenso.

Suas mãos deslizavam sobre meu corpo. Em uma sequência desenfreada, Roberto soltou as alças do meu vestido indo ao chão e tirou minha calcinha, ali estava nua e encharcada de tanto tesão. Ajoelhei rapidamente e comecei a chupa-lo com uma vontade incrível. Roberto segurava meus cabelos, eu como uma louca passava minha língua toda nele. Em seguida, foi ele que começou a me chupar ate eu gozar na sua boca. Até que gozei novamente. Perguntou se eu queria seu p… dentro da mim; disse que sim.

Penetrou duro, com toda força me levando ao delírio. Em seguida ele me colocou de quatro onde foi bem forte no chão. Rebolava bem gostoso, colocava e tirava… Trocamos de posição várias vezes. Fui por cima dele, beijando sua boca, segurando suas mãos.Gozei incansavelmente. éramos somente homem e mulher entregues a um desejo louco, não apenas chefe e funcionária… Lembro que naquela noite nossas roupas ficaram espalhadas pelo chão, depois fui embora. Uma noite pra ser lembrada para sempre. (autor desconhecido)

Conto enviado por seguidor anônimo do blog Meus Fetiches

A minha vez


Tinha chegado o dia! Uma relação extraconjugal com dia e hora marcada. E pela primeira vez em 5 anos de casada. Eu até tinha me “dado” de presente uma despedida de solteira, mas numa situação inusitada e inesperada. Essa não. Tinha sido combinada, marcada, esperada (com muitas mensagens de whatsapp e facebook). E o motivo, uma vingança, dava um tempero ainda mais excitante. Tinha recém descoberto uma traição de meu marido. Com um filho de dois anos, o sexo tinha ficado em segundo plano. Não por nós, sempre fomos bem ativos e apaixonados, mais pela rotina mesmo. E nem pelo meu corpo, afinal modéstia parte sou muito bonita. Tenho corpão, cintura fina, seios pequenos, cabelo lisos e compridos. A natação desde a infância fez que meu corpo voltasse rapidamente ao que era antes. Sou muito assediada e essa descoberta não me deixou dúvidas que estava na MINHA vez, sem medos, pudores ou preconceitos.
Arrumada para trabalhar, como o de costume. Mas hoje o destino seria outro. Lingerie vermelha por baixo e cílios postiços. Nos encontramos, guardamos meu carro na casa de uma colega e entrei no seu carro. No caminho até o motel não pude olhar muito para ele, meu nervosismo era grande. Entramos no quarto do motel. Vitor era mais baixo do que nas fotos. Mas tinha um rostinho de menino! Afinal era 7 anos mais novo. Nesse momento, pude comprovar o que já previa: que nossa química seria perfeita! Me puxou e me beijou ardentemente, com muito desejo. Deslizou a mão por todo meu corpo, como para comprovar que todo aquele material estava mesmo ali. Começou a arrancar minha roupa com força (ah a virilidade dos 20 e poucos anos!), tirou meu sutiã e chupou meus pequenos seios com tesão. Peguei no seu membro e pude sentir o que estava por vir. De repente, Vitor me jogou na cama e apenas afastou minha pequena calcinha para sentir meu gosto. Explorou meu sexo como ninguém, como se saboreasse um sorvete. Passava a língua pelo meu clitóris em movimentos circulares, chupava minha virilha, introduzia os dedos, usava sua suave barba para me arrepiar…nossa, vi as estrelas! Quando estava quase lá, ele parou, me olhou com cara de safado e disse: “Vou pegar a camisinha, quero penetrar você.” Com o tesão que eu estava, era tudo o que queria! Fiquei ansiosa por aquela penetração. Quando ele voltou, me puxou com força e encaixou em mim. Quantos gemidos de prazer! Um vai e vem sem interrupções. Não demorei muito e já gozei. Como estava toda molhada me virei de quatro e pedi pra ele vir. Não foi preciso falar duas vezes, se ajoelhou e encaixou novamente. Foi quando ele gozou. Pelo espelho do quarto pude ver sua expressão de imenso prazer.
Ficamos lá quase cinco horas. Teoricamente, eu estava trabalhando ele estudando no seu curso de Medicina. Conversamos, tomamos café e também transamos cinco vezes! Nem me lembro se alguma vez tinha gozado tanto assim. Exploramos tudo o que tinha naquele quarto de motel: cama, sofá, banheira, balcão de pedra, degrau de carpete, cadeira, tudo!
Vitor tem namorada e eu sou casada. Nossa química havia sido perfeita e com tudo esclarecido desde o início não haveria cobranças. Tudo indicava que não ficaria apenas numa vingança. Eu estava prestes a ter um amante…
Conto enviado por Anônima

Máquina de lavar


Sou casada a 15 anos,e meu relacionamento sexual com meu marido andava muito ruim. Pra dizer a verdade, eu já não sentia mais tesão quando ele me tocava.

Sempre fui uma mulher muito romântica,e tinha um fogo dentro de mim que não sabia como fazer pra apagá-lo,ou melhor, saciá-lo… mas foi numa tarde de sexta,de mais um dia sem expectativa, minha máquina de lavar resolveu dar um defeito e pra meu azar,estava sozinha em casa já com um mau humor terrível!

Resolvi ligar para o técnico,que se prontificou a vir em minha casa em 30 minutos. Aproveitei e tomei um banho pra tentar me livrar daquele mau humor. Coloquei um vestidinho bem leve, com ar inocente,não com a intenção de nada, era porque estava muito calor, me lambuzei num óleo super perfumado e deitei na cama pra me acalmar. Quando a campainha tocou e fui abrir a porta, quase cai pra trás: um homem de 1,90,cabelos lisos,corpo super sarado,e ainda por cima bronzeado,quase fiquei sem fala!

Explique o que estava acontecendo com a máquina (acho que fiquei mais desconcertada que a máquina!) e cada vez que aqueles olhos esverdeados me olhavam me dava uma tremedeira inexplicável!

Deixei ele a vontade pra fazer seu serviço e fui pro quarto,louca de tesão por aquela figura linda e sexy, mas mantive a postura! Vária vezes eu ia no local onde ele estava consertando a máquina só como desculpa pra vê-lo. Até que, ao perguntar se ele estava precisando de alguma coisa,a torneira quebra e lança um jato de água abundante em cima de mim,molhando todo o meu vestido e revelando que eu estava sem sutiã e sem calcinha. Ele olha pro meu corpo molhado e pro meu rosto, pega uma toalha e começa a me secar devagarzinho, pedindo desculpas e olhando fixamente pra minha boca.

Fiquei sem reação. Ele passa a toalha pelo meu ombro,depois pelo meu braço e sempre olhando fixamente e eu…completamente imóvel. Passa a toalha por cima dos meus seios,bem devagar,até que não aguentando mais, ele rasga meu vestido,beija minha boca com uma língua quente… Solto um gemido que o faz perguntar se poderia continuar…

Digo que sim,implorando para ele não parar. Ele me levanta até sua cintura e beija,chupa ,mama,meus seios de maneira tão urgente que mais um pouquinho eu gozaria ali mesmo!

Indico onde é o quarto e ele me leva agarrada na cintura dele mesmo, me joga na cama e começa a tirar a camisa e a calça jeans. Vejo aquele p… lindo,rosinha e enorme! Não quero mais nada naquele momento a não ser aquilo dentro de mim!

Ele beija até chegar na minha barriga e desce mais um pouco.. E lambe como se eu fosse um sorvete e pede pra eu deixar vir meu “leitinho”pra ele engolir! Vou a loucura! Mas ainda estava faltando a minha vez. Falei no ouvido dele:

-Deixa eu colocá-lo na minha boca?

–É todo seu minha princesa! – Ele diz.

Sem demora, lá fui eu provar o néctar dos deuses. Era tão gostoso que eu não queria parar de chupar, poderia me viciar naquilo! Aquele homem me puxou, rolou por cima de mim e me preencheu com aquele p… gostoso.

Começou investindo devagar, mas logo eu reclamo e ele dá um risadinha. Então foi metendo cada vez mais rápido, aquilo estava muito bom! Me virou de quatro e começou com investidas fortes e rápidas, do jeito que eu gosto!

Aquele homem era um sonho! Quando não estava mais aguentando, explodo em um gozo que nunca havia tido antes em minha vida. O melhor de tudo: ele gozou juntinho comigo!

Quando recuperamos a lucidez, agendei um horário no dia seguinte pra ele consertar minha secadora de roupas.

Conto escrito/enviado por Danielle R.